UFPA: a melhor entre as piores do Brasil

Com a publicação dos resultados da avaliação trimestral dos programas de pós-graduação, o que evidenciou a diferença entre conceitos entre os cursos da região Norte e o restante do país. A realidade da UFPA, a maior instituição acadêmica do Norte do país é trágica. Os sérios problemas de infra-estrutura e problemas de gestão culminaram com um péssimo resultado na avaliação, já que a maioria dos programas da UFPA obtiveram nota 3 (o mínimo para um curso de pós funcionar), os únicos cursos em destaque são os seguintes: Geologia e Geoquímica (conceito 6) e Genética e Biologia Molecular (nota 5).

No site da UFPA a notícia saiu como comemoração , mas há sim o que lamentar. Uma instituição que recebe verba para investir em bibliotecas e compra de livros, prefere investir em um centro de convenções pouco funcional. A Biblioteca Central está há muito tempo sucateada e desatualizada, qualquer acadêmico sensato nota que comprar livros não é o forte da reitoria, mesmo tendo uma gráfica (uma das maiores da região), que não produz e uma editora que não edita, um verdadeiro desperdício de verba pública.

Outro ponto que faz a UFPA falhar é a ausência de processos eleitorais democráticos nas unidades. O voto paritário é resquicio do autoritarismo, na UFPA a democracia passa longe, fortalecendo o coorporativismo e os duelos de vaidades, coisa corriqueira nessa instituição.

Por enquanto a UFPA e as outras instituições da região fazem parte do grupo da 3ª divisão do conhecimento (atrás das instituições do Centro-sul e Nordeste). Há instituições de excelência na Amazônia, como  o Museu Paraense Emílio Goeldi e o INPA (Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia), que são bem geridos, ao contrário da maior instituição de ensino da Amazônia.

1° Simpósio Nacional Linguagem e Imagem em Belém

spam_final-para-o-orkut1

No ano de comemoração do centenário de nascimento do cineasta Líbero Luxardo, a capital paraense tem o privilégio de receber nos dias 11 e 12 de dezembro o 1° Simpósio Nacional Linguagem e Imagem, promovido pelo Grupo de Trabalho em Imagem (GTI), um excelente grupo de discussão e pesquisa que realizava eventos nas dependências do Instituto de Letras da Universidade Federal do Pará, dentro do projeto “Linguagem e Cinema: Foco da Câmera Apoiado no Tripé Discurso, Ideologia e Arte”. Superando as limitações de tempo, espaço e recursos, o GTI conseguiu construir algo inovador, ignorando e superando a própria condição de “periferia acadêmica” na qual a UFPA se encontra.

Se antes a cidade de Belém não recebia eventos desse porte, hoje pode comemorar, pois essa linguagem (a da 7ª arte) tão fascinante começa a despertar interesse não só do público, mas também de pesquisadores da área da lingüística do discurso e de audiovisual. Os espaços de discussão, exibição e promoção do cinema foram ampliados ao longo de 10 anos e a cidade já possui um público fiel para esse tipo de evento, o que demonstra que Belém em breve se tornará a capital do cinema (sem exagero).

O principal propósito deste Simpósio é discutir, divulgar e promover as atividades de pesquisa, ensino e extensão desenvolvidas pelo GTI. É importante salientar que embora o evento tenha um caráter essencialmente acadêmico, a proposta é ir além dos muros da academia estabelecendo, assim, diálogo(s) com as outras instâncias do conhecimento na sociedade.

O evento ocorrerá  em dois significativos espaços para o projeto e para a cidade de Belém (PA): o Teatro Experimental Waldemar Henrique e o Cinema Olympia.

Saiba mais:

Visite o site oficial do evento aqui.

Encontro Nacional dos Estudantes de Letras em Belém [Enel 2008]: expectativas

c1a5a58236.jpg

O Encontro Nacional dos Estudantes de Letras faz parte do calendário de todo estudante de letras engajado. Trata-se de um encontro promovido pela base estudantil com apoio dos CA’s (Centros acadêmicos), ExNel (Executiva Nacional dos Estudantes de Letras) e suas regionais, assim como o apoio da Universidade sede e dos orgãos ligados a ela.

Já participei de dois encontros, o primeiro em 2005 em Recife, realizado na UFPE. O encontro pecou ao perder o controle da situação com o inchaço de participantes, o que prejudicou a infra-estrutura básica do evento, já que os banheiros eram insuficientes, os alojamentos também, além da programação acadêmica que ficou comprometida. A comida era suficientemente boa, assim o encontrista ficava feliz depois de passear pela bela cidade e encontrar o sabor da fascinante culinária nordestina.

Em 2006, na então capital federal, as coisas melhoraram. A programação acadêmica funcionou muito bem, com excelentes palestras (Marcos Bagno, Dante Lucchesi, Evanildo Bechara, Marta Scherre, Aryon Rodrigues, etc). As festas foram boas também, bem animadas (não tanto quanto as do Enel em Recife), exceto pelo espaço minúsculo, pelo frio e pela turma da “fumaça” que “pegou fogo”.

A comida pouco caprichada e as longas distâncias entre o centro olímpico e o ICC também foram pontos negativos do encontro, mas no geral a avaliação foi boa.

Em 2007 em Curitiba não pude comparecer, mas fontes seguras afirmaram que o encontro teve muitos problemas, inclusive algumas pessoas que iriam apresentar trabalho não conseguiram por conta de falta de local, horário, etc. Quem foi elogiou muito mais a cidade do que o encontro em si, ou seja, a cidade salvou o encontro.

Já estamos em 2008 e o encontro será em Belém, o que é louvável. Primeiro por ser a capital da Amazônia, por estar fincada no meio da floresta amazônica e cercada por desafios, mitos e contradições.

A capital paraense não possui animais silvestres passeando nas ruas e avenidas e muitos menos é tomada por esquadrões de mosquitos, pelo contrário, aqui você encontra um metrópole aos moldes amazônicos, com clima quente e úmido, povo hospitaleiro, com uma diversidade de ritmos, sabores e raças.

Quem pisa na Amazônia nunca mais volta o mesmo, disso podem ter certeza, aqui os rios são oceanos, a floresta é um imenso tapete verde, as chuvas tem hora marcada para cair, só aqui temos noção de que o Brasil é um continente.

Estudantes de Letras do Brasil, participem e aprendam a valorizar e defender o que é nosso!

Mais informações:

ENEL-2008
Belém-Pa
Encontro Nacional dos Estudantes de Letras

Data do Encontro:19/07 à 26/07/08

Inscrição:

Período: 03/03/08 —- 30/04/08

Inscrição Completa: R$65.00 (inscrição+alojamento+alimentação)

Inscrição+Alojamento: R$50.00

Inscrição+Alimentação: R$55.00

Somente Inscrição: R$40.00

Período: 01/05/08 —- 19/06/08

Inscrição Completa: R$80.00 (inscrição+alojamento+alimentação)

Inscrição+Alojamento: R$65.00

Inscrição+Alimentação: R$70.00

Somente Inscrição: R$60.00

Período: 27/06/08 —- 19/07/08

Inscrição Completa: R$100.00 (inscrição+alojamento+alimentação)

Inscrição+Alojamento: R$85.00

Inscrição+Alimentação: R$90.00

Somente Inscrição: R$80.00

Agência: 3702-8

Conta Poupança: 23951-8 Banco do Brasil

O recebimento de trabalhos acontecerá de 01 de março a 16 de maio, interessados enviar resumos para enelpara@yahoo.com.br

As regras para submissão são as da ABNT em vigor

Weblog do evento (em breve teremos hotsite): http://xxixenel.blogspot.com/