Belém: A tarifa mais baixa do Brasil e pior transporte público do mundo

O Setransbel valoriza o fato de Belém ter uma das menores tarifas do Brasil, mas esquece de que o serviço prestado é um dos piores do planeta. As razões são as seguintes:

  • Poucos ônibus circulando, principalmente nos locais mais distantes do centro (resultando em ônibus lotados);
  • Demora no intervalo de um ônibus para o outro (quem vai para Mosqueiro por exemplo chega a esperar 2 horas para pegar a condução);
  • Ônibus sujos;
  • Parte dos motoristas “queimam” paradas, param no meio da via pública, ignoram idosos e portadores de necessidades especiais;

 

Todos esses problemas nos levam a concluir que o serviço pode até ser barato, mas a qualidade é uma das piores possíveis e o fator conforto/qualidade nunca entra na planilha dos empresários.

O fato é que em breve a tarifa deve ficar tão cara, que fará os usuários optarem por alternativas, tais como: bicicleta, moto, carro, moto-táxi, pés, etc.

É um Assalto: Tarifa de Ônibus em Belém

Isso mesmo, a proposta de R$ 2,21 do SETRANSBEL (Sindicato dos Empresários) é um assalto ao bolso do cidadão que se utiliza do transporte público na capital paraense.

Andar de ônibus em Belém é um tormento! Os ônibus são sujos e fétidos (experimente entrar de branco!), velhos (boa parte da frota tem quase 10 anos ou veio do Rio de Janeiro, usados é claro) e insuficientes, já que quanto mais longe se vai, menos ônibus se tem e pior é o serviço.

Os empresários não estão interessados em melhorar o serviço prestado, pelo contrário, querem piorá-lo e a exemplo disso basta conferir os ônibus “baratinhas” (micro ônibus onde o motorista é também cobrador) que são pequenos, vivem lotados e colocam em risco quem os utiliza, já que o motorista tem que receber o dinheiro da passagem e dirigir ao mesmo tempo! Um risco de acidente grande!

Já que o aumento é inevitável, então aumentem para no máximo R$ 2 (dentro da inflação pelo menos) e coloquem um ar condicionado nessas verdadeiras latas-velha calorentas que circulam por aí.

PS.: Algumas linhas de ônibus “baratinhas” não aceitam gratuidade, o que configura um desrespeito aos portadores de deficiência física e idosos. Com a palavra, a CTBel…