Belém não tem Livrarias de Qualidade

Belém já teve boas livrarias, como livraria Universal, Dom Quixote, Jinkings, dentre outras, aliás de umas décadas para cá as livrarias deixaram de ser centros de promoção da cultura letrada e da boa leitura para ser tornarem lojas de livros de auto-ajuda e de apostilas para concurso, leitura imediata que vende rápido e dá lucro fácil.

Um bom leitor sempre que chega a uma grande cidade passa na livraria, isso em São Paulo, Brasília, Londres, Paris, Nova York, mas em Belém as poucas livrarias que ainda restam são verdadeiros depósitos de livros de auto-ajuda, de literatura barata, apostilas para concursos, dentre outros impressos. Infelizmente não temos uma FNAC, Saraiva, Livraria Cultura, mas é possível comprar via internet, o que sai bem mais barato que comprar nas livrarias da cidade e por ter variedade de títulos, sem falar nos descontos e frete grátis.

Um exemplo de livraria ruim é a “Newstime” (1° e 2° piso do shopping Pátio Belém e Estação das Docas). Alguns vendedores são pouco gentis, atendem mal, não conhecem o objeto que vendem (no mínimo deveriam saber quem é Machado de Assis, Darcy Ribeiro, José de Alencar, etc), não sabem o que é um conto e nem um romance, só conhecem Paulo Coelho, Augusto Cury, Harry Potter, Dan Brown, dentre outras pérolas da literatura de quinta.

Os livros sempre estão plastificados (só aqui em Belém os livros expostos ficam no plástico), empilhados (em alguns casos em pilhas enormes, quase caindo no leitor), os espaços para circulação são mínimos, ou seja, ninguém consegue ficar muito tempo dentro da livraria sem ser esbarrado por alguém, ou seja, o espaço é pouco acolhedor, sem falar que os livros estão todos misturados, não há sequer divisão por áreas ou temas (achar um livro sem ajuda do vendedor é como procurar uma agulha no palheiro). A única vantagem de comprar nessa livraria é a compra on-line, pois entregam em casa e é bem mais confortável.

Espero que as livrarias de Belém melhorem seus serviços e sejam livrarias de fato. Fica a dica.

PS.: Na loja da Visão existia a Visão Megastore, livraria ampla, organizada, atendimento excelente, mas a mesma foi reduzida e colocada no 2° piso.

A livraria Ifá que funcionava na Mundurucus foi transferida para a Travessa Barão do Triunfo 3174, Bairro do Marco. De todas é a única livraria de fato e que recomendo a visita.

Belém: cidade do caos [Parte 1]

A série “Belém: cidade do caos” mostrará alguns pontos da cidade no qual podemos ver desorganização e a total ausência do poder público. Nessa primeira parte tratarei de três pontos: a) Praça Waldemar Henrique (localizada na Boulevar Castilho França); b) Parada de ônibus em frente a galeria Portuense (localizada na Travessa Padre Eutíquio); c) Parada de ônibus na Avenida Cipriano Santos em frente a praça do operário.

a) Praça Waldemar Henrique:

Idealizada para ser uma praça temática reunindo elementos em homenagem ao nosso maestro Waldemar Henrique, possui um escorregador em forma de violão, uma arquibancada em forma de partitura, além de bancos e brinquedos para as crianças. Construída na prefeitura comandada pelo PT (naquela época ainda de esquerda, revalitalizou várias praças e construiu novas em locais que não possuiam). Na última gestão petebista foi abandonada. Durante quase o ano todo é ocupada por viciados, meninos de rua e delinqüentes que se aproveitam da presença de turistas que vão a Estação das Docas e os roubam. Há uma parada de ônibus, mas quem tem coragem de permanecer lá depois das 17h é candidato a ser roubado ou alvo da ação de pedintes. No mês de junho a praça recebe apresentações de “Quadrilhas Juninas”, o único momento no qual a praça é ”arrumada”. O policiamento durante a noite é ZERO, portanto, evitem andar por aquelas bandas, já que a praça está com a iluminação quase toda quebrada.

b) Ponto de ônibus em frente a Galeria Portuense.

Quem sai do shopping Pátio Belém (antigo Iguatemi) e tem que pegar ônibus para voltar para casa passa sufoco. Além de não haver parada (abrigo), os pedestres ainda tem que disputar espaço com os ambulantes que estão tomando conta da calçada (desde a rua dos  48) e os taxistas que possuem ponto em frente a Galeria Portuense. Quando os mesmos querem entrar ou tirar o carro, ficam buzinando e “jogando” o carro para cima dos pedestres, alguns taxistas ainda “xingam” os mesmos. O risco de atropelamento é alto. Os órgãos competentes devem receber uma propina bem alta para não tirarem aquele ponto de taxi dali, já que ocupa a calçada e atrapalha o embarque e desembarque de passageiros de ônibus. Cabe lembrar que em frente ao shopping há um ponto de taxi regulamentado, portanto, creio que seja desnecessário um outro local para exploração dessa atividade.

c) Ponto de ônibus na Cipriano Santos (em frente ao Terminal Rodoviário).

É público é notório dizer que aquele complexo que circunda o terminal é por demais caótico, já que ali encontramos tráfico de drogas, de mulheres, prostituição infantil, entre outras mazelas sociais, que os governantes ignoram. Mas não falaremos de nenhuma dessas mazelas, mas sim do desrespeito que podemos observar na parada de ônibus. Aquele ponto de ônibus é muito movimentado, por isso o número de “kombis” é alto, muitos gritando o nome dos “itinerários”, a maioria dos veículos é sucata, sem condições de tráfego, mas mesmo assim circulam oferecendo risco a população. Um outro problema é a presença de taxis (de novo eles) que ultrapassam o limite permitido (de 3 vagas), alguns ficam na parada de ônibus mesmo e quem precisa pegar o ônibus deve ir para o meio da pista sofrendo o risco de ser atropelado. Depois das 18h é comum também a presença de moto taxis (outro problema) ocupando a parada de ônibus. Os órgãos competentes também nunca aparecem para acabar com aquela “palhaçada”, creio que devem receber uma “ponta” dos donos de “kombis” e demais exploradores daquela área.

Podemos concluir que a Prefeitura pouco ou nada faz para resolver esses “gargalos” urbanos. Sobra para nós pedestres arriscarmos nossas vidas, já que os órgãos competentes não cumprem seu papel. Faço aqui a minha reclamação e espero que esses problemas sejam resolvidos o mais breve possível.