ALEPA, a lepra…

Peço desculpas aos que sofrem dessa terrível doença chamada hanseníase, conhecida vulgarmente como lepra, usarei o nome vulgar dessa patologia para expressar o sentimento de milhões de paraenses que acompanham o desenrolar do desbaratamento da uma quadrilha altamente especializada em roubar dinheiro do cidadão contribuinte.

Antes, ainda conseguia perceber um pouco de credibilidade na casa legislativa do Estado, mas agora ALEPA virou sinônimo de roubalheira, funcionários fantasmas, desvio de verba pública, dentre outras denominações.

A realidade é que o esquema ilícito era tão bem orquestrado que ninguém imaginava que a “casa” ia cair, mas o esquema foi descoberto e envolve gente alguns personagens que listo abaixo:

1) Domingos Juvenil – PMDB (Ex-deputado e ex-candidato ao Governo do Estado);
2) Robson, o Robgol (R$ 500 mil em espécie foram encontrados na sua casa, o origem do dinheiro provavelmente é ilícita, ex-namorado de Mônica Pinto).
3) Mônica Pinto (A “musa” do esquema, ex-chefe da seção de folha de pagamento; ex-namorada de Robson, Robgol).
4) Sérgio Moreira Duboc (ex-diretor do Detran na gestão atual de Simão Jatene e ex-diretor financeiro da ALEPA)
5) Daura Irene Xavier Hage e Sandro Rogério Nogueira Sousa Matos (integrantes da comissão de licitação);
6) Rosana Barletta de Castro (Chefe de controle interno da Casa);
7) José Carlos Rodrigues de Souza e Josimar Pereira Gomes (donos de empresas beneficiadas pelas fraudes em licitações, o primeiro é ex-marido e o segundo é cunhado de Daura Hage).

Outros personagens… não menos importantes

1) Mario Couto (Senador pelo Estado do Pará pelo PSDB, ex-bicheiro e presidente da ALEPA de 2005 a 2006);
2) Manoel Pioneiro – PSDB (Atual presidente da ALEPA, líder da operação “abafa” e repressor de manifestações pacíficas);
3) Ana Mayra Leite (funcionária fantasma internacional lotada no gabinete deputada peemedebista Simone Morgado-PMDB).

Além desses nomes, há outros envolvidos no maior esquema de desvio público do Estado do Pará e que embolsaram quantias que somadas giram em torno de R$ 10 milhões ao ano!

Aproveito para destacar a importante atuação do deputado estadual Edimilson Rodrigues (PSOL) que tenta emplacar uma CPI, mas a base governista (PSDB + PMDB + partidos agregados) até agora barrou.

O Ministério Público do Estado (MPE/PA) também está atuando de modo brilhante e tentando esclarecer os fatos para que os culpados sejam punidos exemplarmente e expurgados da vida pública.

Advertisements