Belém: Livraria Jinkings fechará suas portas

Infelizmente mais uma tradicional livraria de Belém será fechada por falta de clientes. Situada no coração do bairro Batista Campos, a livraria ajudou a formar ao longo de 45 anos de existência gerações de intelectuais e pensadores como Benedito Nunes,  Ruy Barata, Haroldo Maranhão, dentre outros.  O certo é que a livraria parou no tempo, já que a tendência atual é de livrarias se localizem em shoppings, em lojas de departamentes, além da compra via internet, em que os livros saem bem mais em conta e por frete grátis.

Ao mesmo tempo que uma livraria encerra as atividades cabe lembrar que  Belém tem uma das maiores feiras de venda de livros (A Feira Pan-amazônica do Livro), que a cada ano aumenta o volume de negócios e  de público.  O certo é que as livrarias hoje em dia não devem apenas vender livros (apesar dessa ser sua atividade primordial!), elas devem ter atrativos, como palestras, shows musicais, eventos literários, maior aproximação com as escolas e universidades, de modo a agregar a intelectualidade e jovens leitores, tal como fazem as grandes livrarias do Brasil (Nobel, Cultura, Fnac, Saraiva/Siciliano, etc.).

Mais uma grande livraria desaparece confirmando a grande vocação de Belém: a cidade do “já teve”.

Leia mais aqui: Belém assiste ao fim das livrarias