A Belém dos Apagões

A temporada de apagões na capital paraense e região já começou. Qualquer chuva ou ventania já é suficiente para interromper o fornecimento de energia elétrica, seja no centro ou na periferia. A Rede Celpa parece que pouco investe na qualidade da rede residencial, pois parece que a fiação da cidade é de “macarrão” e não suporta qualquer alteração no clima.

Não bastasse isso, o atendimento via call center é precário. O cliente precisa ouvir a “musiquinha” por vários longos minutos e quando atendido recebe a promessa: “uma equipe estará se dirigindo ao local, aguarde nas próximas horas…” e só aparecem no outro dia!

A desculpa amplamente utilizada pela Rede Celpa de que os “gatos” provocam as quedas não explica os constantes  apagões no bairro do Umarizal (chamado de bairro “nobre” pelos plebeus).

Advertisements

Belém e a “Hora do Planeta”: Já Aderimos Compulsoriamente

“Apagar as luzes por uma hora” é o que propõe a WWF (World Wide Fund for Nature, Ong suiça) hoje das 20h30 às 21h30. Iniciativa  simbólica para passar a mensagem de preservação ambiental. Em Belém alguns prédios públicos, como o Mercado de São Brás, Mercado do Ver-O-peso, Bosque Rodrigues Alves e prédios privados como a lanchonete McDonalds e um dos  painéis da TIM na Doca irão apagar as luzes.

 

Em Belém e no Pará essa iniciativa não faz nenhum sentido, pelo fato de não termos “luz” para apagar, isso mesmo, você leu direito…nós não temos energia regular e quanto temos é precária. Vamos aos dados:

 

De acordo com a revista Exame PME, no Pará 94,2% das residências possui energia elétrica, a 2ª pior taxa do Norte e uma das piores taxas do Brasil, apesar de termos uma Tucuruí e quase uma Belo-Monte (Belo Monstro). Muitas pessoas ainda vivem no tempo das “lamparinas”.

 

De acordo com a ANEEL (Agência Reguladora do Setor de Energia Elétrica) em Belém no mês de janeiro de 2011 a população ficou em média 8 horas sem energia elétrica, com até 4 interrupões mensais, o que segundo a própria ANEEL configura violação de meta (o máximo tolerado é a metade do que ocorreu de fato, 4 horas de interrupções mensais e 2 interrupções mensais), ou seja, a própria Rede Celpa está aderindo à Hora do Planeta e levando a população a aderir compulsoriamente. É importante lembrar que essas interrupções acima do normal são compensadas em forma de crédito na sua conta de luz, apesar de você ter perdido a novela, dormido no calor, ao som da orquestra de mosquitos…

 

Desde a a privatização da Celpa (agora Rede Celpa) ocorrida em 1998, a conta subiu 146,47 % (e continua subindo…), o serviço não melhorou muito (se faltar energia meia-noite e você ligar para o atendimento 24h…vão pedir para você aguardar até o outro dia). Por onde anda o Super-Herói da Celpa quando a gente precisa dele?

Cadê o Super-herói da Celpa quando falta energia na sua casa?

 

Além do serviço precário prestado, a rede elétrica é velha (basta ir ao Centro Comercial e observar que aquelas fiações são verdadeiros barris de pólvora! A qualquer hora pode ocorrer um incêndio) e a manutenção não é regular (só quando chove ou quando cai uma árvore), a prefeitura tem culpa no cartório também, caminhe durante a noite pelas ruas do Cidade Velha, Reduto, Umarizal, Batista Campos, Marco, Pedreira, São Brás, Canudos, Guamá, Montese (ou Terra Firme)…ou como diz a canção do grande Nilson Chaves “de Val-de-cães ao Guamá…) e observar a quantidade de postes “apagados” e prefeitura só manda consertar quando é chamada e demora dias e meses para “arrumar” o poste.

Todo mundo sabe que é um perigo andar por ruas escuras (bandidos adoram o escuro) e pelo menos 50% das ruas estão no escuro (isso por alto), o que aumenta ainda mais o medo da já assustada população de Belém.

 

Apesar de estar contribuindo para a Hora do Planeta desde 1998 irei apagar as luzes da minha casa.

 

Saiba mais sobre a Hora do Planeta aqui.