Pará sob domínio Tucano novamente

As urnas confirmaram o que as pesquisas vinham apontando: a vitória de Simão Jatene (PSDB) e derrota da atual governadora Ana Júlia Carepa (PT). A vitória de Jatene se deu por diversos fatores, dentre os quais podemos destacar a perda da sub-sede da Copa do Mundo de 2014  para Manaus e os sucessivos escândalos da administração petista que elevou seu índice de rejeição a níveis históricos.

O fato é que a incompetência do governo atual foi tão gritante a ponto de ser suficiente para apagar da memória coletiva da população os 12 anos que o Pará sofreu com a administração tucana (veja o post 45 motivos para não votar em Jatene). O governo Jatene não foi melhor e nem pior que o atual, na verdade foi uma continuidade do governo anterior, ou seja, um governo para poucos e não para a população. O Pará continou uma terra sem lei e sem governo.

 

O fato é que Jatene é um burocrata, tal qual Dilma Rouseff. De poste eleitoral a candidato messiânico com a missão de colocar o Pará no caminho do desenvolvimento.

A facção do PT que tomou as rédeas do governo atual intitulada PMM do B (Puty, Maurílio, Marcílio e Botelho) pertencente a DS (Democracia Socialista), tendência centrista do partido foi responsável pela má administração e envolvimento em escândalos do atual governo. O PT não se empenhou para reeleger Ana Júlia, tanto que muitos se empenharam em eleger principalmente Puty. Sacrificaram um governo para eleger um deputado federal (outro poste eleitoral que se promovia utilizando o nome dos programas nacionais do Governo Federal, como o Projovem Urbano).

A vitória de Jatene significa mais. Significa pelo menos mais 8 anos de governabilidade com direito a lançamento de um novo poste eleitoral, dada a ausência de lideranças (considerando a cassação dos direitos políticos de Jader, a maior liderança do estado). Talvez a única capaz de disputar o próximo pleito é Maria do Carmo (PT) desde que saiba o valor da passagem de ônibus urbano em Belém.

 

O tempo nos dirá se mais de 1 milhão e 800 mil optaram pela mudança ou pela estagnação.

IBOPE, Data Folha e Vox Populi são confiáveis?

Dilma venceria no 1° turno, Netinho, o preferido em SP, em 2006  Jacques Wagner (PT) não entraria nem no 2° turno. Em Belém alguém lembra da Valéria Pires Franco que iria para o 2º turno com Duciomar, no entanto, ficou em 3°. Recentemente o IBOPE divulgou pesquisa indicando Jatene como vencedor no 1° turno, o que não ocorreu.

O que faz o IBOPE errar tanto (acima de sua própria margem de erro)? Você conhece ou já foi entrevistado por algum pesquisador do IBOPE? Qual a metodologia utilizada ou quem paga a conta escolhe a metodologia?

É fato que esse tipo de “pesquisa” influencia o eleitor desinformado (a maioria do eleitorado), que se sente motivado a votar em quem está ganhando, daí vem a importância dessas pesquisas encomendadas.

Devemos repensar a real utilidade dessas pesquisas e depositar nenhuma confiança nelas, já que a sua fácil manipulação gera resultados para determinados candidatos.

 

 

Lembre-se disso: o próprio presidente do IBOPE Carlos Augusto Montenegro afirmou várias vezes que a popularidade de Lula não ajudaria a eleger uma sucessora. Diante dos números o mesmo faz mea-culpa “Errei e peço desculpas. Na vida, às vezes, você se engana”, afirmou. “O Brasil já tem uma presidente. É Dilma Rousseff.”

 

Fica a reflexão.

Xô Tucanagem: Motivos para não votar em Simão Jatene (PSDB) no 2° turno

Pior do que tá fica sim!

Por pouco as garrafas de Chandon não estouraram ontem. Crente que sairia vitorioso no 1° turno e com pesquisas de opinião fajutas a seu favor, Simão Jatene deverá enfrentar Ana Júlia Carepa (PT) no 2° turno. Ao que tudo indica o tucano perdeu em algumas regiões no interior do Pará.

Abaixo seguem alguns motivos (45 para ser exato)  – que boa parte da população já esqueceu – para não votar na volta dos tucanos ao poder no Pará:

1–   VIOLÊNCIA NO CAMPO
Nos 12 anos do governo do PSDB o Pará ocupou o primeiro lugar no ranking da violência no campo provocado por conflitos fundiários. Noticias sobre massacres contra trabalhadores rurais eram constantes nas manchetes dos jornais paraenses e da imprensa nacional. O MASSACRE DE ELDORADO macula até hoje a história do Pará

2-NÃO CUMPRIMENTO DO PERCETUAL MININO PARA SAÚDE
Em janeiro de 2005, dados do ministério da Saúde mostravam que estados e municípios descumpriam a Emenda Constitucional 29, que obrigava a investir um percentual mínimo de suas arrecadações na saúde publica. O Pará foi o Estado que apresentou a pior media de aplicação naquela época, com R$174 per capita, enquanto que a maior media ficou para o Distrito Federal com R$ 600 por habitante.” Investimento é baixo na saúde” Diário do Pará, 25.01.2005.

3–   LUZ PARA POUCOS
Em 2003, cerca de 27% da população paraense ou 1,8 milhão de habitantes não tinham acesso ao serviço público de energia elétrica.

 

4-   ÓBITOS DE BEBÊS NA SANTA CASA
Em relação ao número de óbitos ocorridos na Santa Casa, em 2004 foi o ano que apresentou o maior índice de óbitos neonatais, foram 588 óbitos e a taxa de mortalidade de 19,2%.

 

5-   COM JATENE A VALE FOI PARA O MARANHÃO
Depois de penosas negociações em 2004, Simão Jatene não conseguiu trazer a maior siderúrgica brasileira (ALPA) para o nosso Estado. A Vale decidiu instalar a Alpa no Maranhão.

6–   30 MIL CASAS QUE NINGUEM VIU
Em 2004 Simão Jatene prometeu construir 30 mil casas para população do Estado, para compensar a perda da Siderúrgica Alpa. Essas casas nunca passaram de meras promessas do tucano.

 

7-   AÇÕES NÃO DEMOCRÁTICAS
Não havia participação popular na formulação de ações para o desenvolvimento urbano.

 

8-   ESCOLAS SEM VAGAS
No governo de Simão Jatene, os pais de alunos enfrentavam verdadeira batalha para conseguir matricular os filhos na rede estadual. Filas enormes, tumultos e até denuncia de venda de vagas eram ocorrências tradicionais a cada novo período de matrícula.

 

12- CAMPO MINADO
No governo de Jatene a grilagem tomava conta das terras e a violência no campo era manchete dos jornais do Pará e do Brasil. Tudo por conta da falta de um programa de regularização fundiária e de ordenamento territorial.

 

 

13- EXCLUSÃO DIGITAL
O acesso a internet na gestão de Jatene era para poucos, não havia nem um programa para acabar com a exclusão digital que havia no estado.

 

14- REAJUSTE SALARIAL
No governo tucano os salários tiveram 76% de perdas acumuladas – segundo o DIEESE.

 

15- AUXÍLIO ALIMENTAÇÃO PARA POUCOS
Na gestão de Simão Jatene o auxílio alimentação era só para alguns funcionários do Estado, não havia uma política uniforme de concessão deste auxílio.

16- CHEQUE-MORADIA SOMENTE PARA FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS
No governo dos tucanos o chamado Cheque-Moradia atendia apenas aos servidores públicos estaduais. Não havia uma política de habitação mais democrática para população.


17- CRÉDITO NAS ALTURAS
No governo tucano o BANPARÁ não oferecia créditos a juros baixos não havia nem uma tarifa diferenciada para os servidores efetivos, estatutários, comissionados, aposentados e pensionistas.

 

18- CARNE SEM GARANTIA
Não havia garantia de que a carne produzida no Pará não contribuía para o aumento do desmatamento na Amazônia no governo de Simão Jatene. Seu Mapeamento Ecológico não saiu do papel.

19FEBRE AFTOSA
Não havia no Estado nenhuma área livre de febre aftosa com reconhecimento internacional, a exportação de carne era prejudicada.

20EXCLUÍDOS SOCIAS
Não haviam nenhum programa voltado para as populações tradicionais Indígenas e quilombolas.

 

21- IMPOSTOS ALTOS
Não havia redução de carga tributária para pequenos e micros empresários.

22- IPVA SEM DESCONTO
No governo de Jatene não havia nenhuma política de parcelamentos e descontos ao bom motorista.

23- CESTA BÁSICA?
A cesta básica era composta apenas por 20 produtos, e com alíquotas não diferenciadas para o empresário beneficiar seus empregados.

24- FROTA DA PM REDUZIDA
No governo tucano 600 viaturas da Polícia Militar eram sucateadas e metade da frota estava parada sem condição de uso.

25SEM SEGURANÇA 1
Não havia munição para os policiais, eles realizavam seus serviços com a metade da carga das armas. Colete a prova de bala era uma disputa.

26SEM SEGURANÇA 2
A impunidade e a violência ficaram cada vez mais à solta em 2003 e uma das razões para isso foi a ausência de delegados de Polícia Civil em cerca de 48% dos municípios paraenses
. O motivo para essa deficiência foi a demora para a nomeação dos candidatos aprovados no concurso do Instituto Estadual de Segurança Pública (Iesp).

27- JOVEM X MERCADO DE TRABALHO
No governo de Simão Jatene não havia uma política pública voltada para a inserção do jovem no mundo do trabalho. Questiona-se inclusive que os bandidos de hoje foram àqueles adolescentes sem perspectivas durante os 12 anos governo.

28- DELEGACIAS
Os baixos investimentos para as delegacias da Polícia Civil deixaram as sedes, em sua maioria, verdadeiras pocilgas.

29- CENTRO DE PERÍCIA CIENTÍFICA RENATO CHAVES – CPC
Havia incapacidade do CPC Instituto Renato Chaves em realizar seu serviço a contento e os carros para remoção de cadáveres eram totalmente sucateados.

30- POLITICA DE ENFRENTAMENTO DE EXPLORAÇÃO SEXUAL
Inexistência de uma política integrada de enfrentamento à exploração sexual infantojuvenil no Estado.

31- IMPOSTOS
Em setembro de 2007, Simão Jatene foi acusado de ter dispensado, através de decreto, juros e multas sobre débitos incidentes do ICMS. O STF considerou inconstitucionais os benefícios concedidos, o que foi enquadrado como crime de responsabilidade.

32- HOSPITAIS SEM FUNCIONAMENTO
Acredite, Simão Jatene inaugurou três hospitais sem equipamentos e sem médicos para atender a população. Não passavam de fachadas. Dois meses depois da cerimônia de inauguração, o jornal Diário do Pará publicou a seguinte manchete: “Idosa morre sem ajuda no Hospital de Marabá”
(Diário do Pará – 07.11.2006)

33-  PREFEITURAS SEM ASSISTÊNCIA À SÁUDE
No governo de Jatene, os repasses de recursos da Saúde para os municípios eram feitos apenas aos prefeitos aliados do governo dele. Como se a Saúde fosse apenas para os amigos.

34- DELEGADOS A MÍNGUA
Delegados da Polícia Civil passaram mais de dez anos tentando acordo com o governo tucano, por um plano de carreira e progressão salarial.

35- MENOR RANKING DE SANEAMENTO DO PAIS
No governo de Simão Jatene, a Região Metropolitana de Belém teve o índice mais baixo do Pais de Saneamento Básico. Apenas 7,2% dos domicílios dispunham de tratamento de esgoto.

36- MENINAS DOS OLHOS DE ALMIR  ABANDONADA
A Alça Viária, menina dos olhos de Almir Gabriel, ex-aliado de Jatene, teve rara manutenção durante a gestão de Jatene, os buracos e acidentes eram constantes.

37- TROCOU IMPOSTOS POR DOAÇÃO DE CAMPANHA
Em 2004 denuncias contra a CERPA apontavam que a empresa de cerveja doou para campanha de Jatene em 2002, 16,5 milhões em troca da isenção de impostos ao governo.

38- PROFESSORES SOFREM REDUÇÃO DE SALÁRIOS
No governo de Simão Jatene os professores tiveram redução de seus salários com cortes da carga-horária. Em alguns casos chegava 50% menor, comprovavam os contracheques.

39- ALVORADA MILIONÁRIA
Nos governo de Almir Gabriel e Simão Jatene, o projeto Alvorada, do governo de FHC, perderam-se em fraudes e desvio de R$45 milhões. O projeto tinha o valor total de R$120 milhões, mas foi extinto antes que os benefícios chegassem à população paraense. Desse dinheiro, Jatene recebeu a quantia liberada de R$ 66.776.371,01, mas só executou R$ 21.669.774,00 do total recebido, ou seja. 20% do valor liberado para o o  governo do Estado.

40- ESCÂNDALO NO HOSPITAL ABELARDO SANTOS
Em 05 de abril de 2006, a Policia Federal fez devassa no hospital do Estado Abelardo Santos e descobriu várias irregularidades na condução administrativo-financeira dos pagamentos de plantões. A PF cumpriu cinco mandados de busca em residências de servidores do hospital deste hospital.

41- MORTALIDADE INFANTIL NO ESTADO
Segundo informações do IBGE, em 2004, o Pará registrou na rede hospitalar 1,840 óbitos na faixa de 0 a 4 anos. Ou seja, apenas nos hospitais, morreram 6 crianças por dia.

42- EVASÃO DE VERBA PÚBLICA
Sonegação, evasão de impostos, pirataria e contrabando foram alguns dos fatores que fizeram o estado do Pará perder cerca de R$ 100 milhões no governo de Jatene. As atividades ilícitas prejudicaram bastante o sistema de arrecadação do Estado, principalmente áreas como a saúde, educação e habitação.

43- PEC DA SEGURANÇA SEM APOIO TUCANO
O governo tucano, de Serra a Jatene não apóia a PEC 300 da Segurança, ou seja, o Projeto de Lei que valoriza e cria um piso nacional para o pessoal da segurança.

44- ROMBO NA SAÚDE
A saúde na gestão de Jatene foi um caos, sem uma política de saúde. A gestão da Secretaria de Saúde – SESPA sofreu acusações de improbidade administrativa, devido às irregularidades detectadas na aquisição de unidades móveis e nas obras para construção do hospital Metropolitano que custou o dobro do valor previsto.

45- O HANGAR MAIS CARO DO BRASIL
A construção do Hangar em 2006 – Centro de Convenções e Feiras da Amazônia – foi marcada por acusações de contratos duplicados da mesma obra e de superfaturamento. O custo da obra foi considerado acima do mercado- chegou a R$ 3.400,00 o metro quadrado, o mais caro do Brasil e o custo total foi de R$ 100 milhões. O preço do Centro de Convenção foi altíssimo mesmo se comparado a outras obras sobre as quais pesam denuncias de superfaturamento.

 

 

Tirem suas próprias conclusões.

 

“Pior do que tá fica…”