Belo Monte: Belo Monstro


O Brasil precisa de energia, não de Belo Monte, energia para o desenvolvimento do país, para o progresso. Será que precisamos realmente que o governo construa uma usina cara, sem saber os reais impactos sociais e ambientais ou se a mesma será um verdadeiro desperdício de rios de dinheiro (sem falar no desvio de verbas, que também está previsto!).

A intenção de construir a usina tem pelo menos 30 anos e os debates desde 1989 em Altamira, quando a índia kaiapó Tuíra tocou com a lâmina de seu facão o rosto do então diretor da Eletronorte, José Antônio Muniz Lopes, no I Encontro dos Povos Indígenas do Xingu. De lá pra cá muita coisa aconteceu, tivemos apagões, racionamento, seca nos reservatórios, uma crise energética sem precedentes.

Encontro dos Povos Indígenas do Xingu (1989)

Índia kaiapó Tuíra tocando o facão no rosto do engenheiro

Os exemplos de Usinas construídas na Amazônia são a UHE de Tucuruí (PA), de 1970 e UHE Balbina (AM) que em suas construções inundaram grandes áreas, destruindo fauna e flora, no caso da Usina Balbina o resultado foi a destruição da reserva indígena Waimiri-Atroari. A promessa de que a construção dessas usinas traria benefícios para a população não foi cumprida, já que no caso do Pará, a energia é cara e não chega a todos os lugares, há situações de localidades vizinhas a grande barragem de Tucuruí e que não são beneficiadas pela energia gerada na mesma. No caso de Tucuruí 32.000 pessoas saíram às pressas e sem saber o real impacto que a obra iria causar.

Obras desse tipo geram pessoas sem terra, sem falar violação de direitos humanos entre eles o direito à dignidade da pessoa humana, na medida em que, no seu conjunto, as violações de direitos humanos ocorridas impossibilitaram a reestruturação da vida individual e coletiva, com graves impactos sobre a identidade, a estima e as perspectivas de futuro, segundo a Comissão Especial do Conselho de Defesa dos Direitos da Pessoa Humana (CDDPH/Ministério da Justiça).

“Entre as conseqüências da barragem estão a perda de floresta, o deslocamento de povos indígenas e demais comunidades na área de inundação; o desaparecimento da pescaria; a proliferação de mosquitos e os efeitos sobre a saúde devido à malária e a contaminação por mercúrio. Além disso, segundo o INPA, hidrelétricas em áreas de florestas tropicais produzem emissões significativas de gases de efeito estufa.” Fonte:  CMI Brasil.

Usinas desse porte não são feitas para a população, mas sim para as grandes empresas, como exemplo 2 terços da energia gerada pela Usina de Tucuruí beneficia poucas empresas mineradores: Albras,/Alunorte/Vale no Pará e Alumar/Alcoa no Maranhão.

A pressa em construí-la reflete a plataforma eleitoral de 2010, Belo Monte como a principal obra do PAC 2 deverá alavancar a candidatura da candidata do governo, pena que esse processo ignorou princípios republicanos e democráticos, embora o governo se intitule “popular”.

Belo Monte será um “Belo Monstro” no meio da Amazônia.

Fontes:

http://www.socioambiental.org/

http://www.midiaindependente.org/

Advertisements

5 thoughts on “Belo Monte: Belo Monstro

  1. É fácil se opor a todos os projetos apresentados, mas não se apresentam alternativas viáveis, em geral. A Amazônia representa uma enorme área do território brasileiro, não pode ficar intocada – o conceito de manter a natureza intacta é dos anos 70, hoje se sabe que o homem faz parte da natureza e precisa usar seus recursos – sem destruí-los, porém. Uma usina é uma intervenção em um ponto do rio, que segue adiante após a barragem. Se não utilizarmos as fontes mais abundantes de energia renovável (hídrica), teremos que usar formas mais caras e ineficientes. Os índios que protestam hoje contra a usina se situam em área que não será afetada pelo projeto, vivem em Mato Grosso e a usina é situada rio acima, no Pará. São manipulados por ongs e partidos opositores ao governo.

  2. Apenas um comentário adicional: os que são contra as hidroelétricas deveriam DEIXAR DE USAR ENERGIA PROVENIENTE DELAS, para serem coerentes. Caso contrário, é hipocrisia.

  3. Todos temos consciencia dos problemas pelos os quais o nosso planeta vem passando,e sabemos tambem que se ficarmos de braços cruzados esses problemas iraõ agravar-se cada vez mais.Admito que essa essa usina irá proporcionar beneficios para algumas pessoas,sendo que as menos beneficiadas serão as que mais sofrerão,projetos como estes ao invés de resolver problemas, estão aumentando a miséria, a violência, a destruição da fauna e da flora e proporcionando a expulsão de milhares de pessoas das áreas rurais e urbanas.Vive-se falando em falta de recursos para a saude e edução,que são invetimentos verdadeiramente nescessarios para a populução,mas quando fala-se em “destruição da vida”,aparecem inumeros interesados em contribuir.

  4. Realmente, falar é fácil demais, concordo com você aí de cima. É.. não é a toa, que você fala demais. Por acaso já procurarou se informar sobre novas alternativas de energia? Já procurarou saber das Smart Grids – redes inteligentes- já? Pelo visto não, né. O ato de falar parece ocupar muito o tempo de você. Pois é, então, a dica fica: se informe, se questione, critique. Ah, e pense! Pense mais, use suas cabeças pra algo de fato produtivo.
    Assistam( smart grids ): http://www.youtube.com/watch?v=HR9TN-ICezs

  5. Acho que as pessoas esquecem os problemas reais ligados a Belo Monte, não é so o impacto ambiental e sim tbm o social…o aumento da população a infraestrutura para conter isso, ate hoje as obras estão atrasadas para conter a massa que irá tras de emprego, teremos mais violência, e mais uma serie de problemas. Isto precisa ser evitado, e o que tem sido feito não ficará pronto a tempo, e será mesmo que precisamos de mais uma usina com gasto de 19 milhões???

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s